Como a Testosterona Ajuda na Hipertrofia

Como sabemos, a testosterona é uma hormona que, quando tem níveis equilibrados, acarreta diversas vantagens para o homem e contribui de forma significativa para o crescimento muscular, ou seja, a hipertrofia. Na sequência do artigo “Dicas para aumentar os níveis de Testosterona” vamos agora ver em concreto como a testosterona ajuda na hipertrofia e porque é que a testosterona é essencial para qualquer atleta que pratique musculação e em particular para os culturistas.

A Hipertrofia Muscular

testosterona niveis

A hipertrofia muscular é um aumento na massa muscular e é algo transversal ao seu corpo. O aumento na dimensão deve-se ao aumento no tamanho (não do comprimento) das fibras musculares individuais. Tanto o músculo cardíaco (do coração) como o músculo esquelético adaptam-se a cargas de treino regulares e crescentes, que ultrapassam a capacidade preexistente das fibras musculares. No caso concreto do músculo cardíaco, o coração fica mais eficaz em retirar sangue das suas câmaras, ao passo que o músculo esquelético torna-se mais eficiente na transmissão de forças através dos tendões circundantes aos ossos.

A Testosterona e a Hipertrofia

A testosterona é um andrógeno ou, se preferirmos, uma hormona sexual masculina. O principal tarefa fisiológica dos andrógenos é a de promover o crescimento e desenvolvimento dos orgãos masculinos e de todas as suas características individuais. A testosterona afecta o sistema nervoso, o músculo esquelético, a medula óssea, a pele, o cabelo e os orgãos sexuais. No músculo esquelético, a testosterona, que é produzida em bem maiores quantidades nos homens (sim, as mulheres também têm testosterona), tem um efeito anabólico, isto é, um efeito de crescimento muscular. Este efeito contribui para as diferenças de género, que verificamos em termos de peso corporal e de composição entre os homens e as mulheres. A testosterona aumenta a síntese protéica, que por sua vez induz a hipertrofia.

Como a Testosterona Ajuda na Hipertrofia?

É de conhecimento geral que ter níveis adequados de testosterona é essencial para o homem, quer para fomentar a sua masculinidade (é vital para a libido) quer para os músculos. Por isso, muitos homens procuram formas ou dicas para aumentar os níveis de testosterona natural, embora possam também optar por terapias de substituição hormonal, de modos a subir artificialmente os níveis de testosterona. No entanto, este tipo de terapias pode ter efeitos secundários gravosos para a sua saúde, por isso, se possível, deve-se optar sempre por terapias naturais, em detrimento das artificiais.

A testosterona fomenta o crescimento muscular de diversas formas. Todavia, provavelmenta a mais importante, é através da estimulação das “células satélite”. Estas são células especializadas, que estão localizadas perto do fim das fibras musculares e que, após o treino, tendem a fundir-se, criando as bases para construção de fibras musculares adicionais, isto é, para a hipertrofia.

Deste modo, quanto mais altos forem os níveis de testosterona, maiores probabilidades existem de crescimento muscular.

Quando um homem com níveis baixos de testosterona começa a registar subidas desta hormona, a mesma provoca diversas mudanças no seu corpo, sendo que uma delas passa inevitavelmente pelo aumento da massa muscular.  Por isso, os produtos com testosterona são bastante populares junto dos culturistas, embora sempre com a preocupação de manter os seus níveis desta hormona dentro do razoável pois, caso contrário, podem ser prejudiciais para a saúde.

A força gerada por um músculo está dependente do seu tamanho e da composição da fibra muscular, por isso é que a testosterona é tão importante, pois alimenta os músculos.

Acima, vimos como a testosterona ajuda na hipertrofia e o quão importante esta hormona é para o crescimento muscular, todavia, isso não implica que não consiga fazer crescer os músculos, mesmo com níveis mais baixos desta hormona. É possível ter hipertrofia mesmo sem níveis altos de testosterona, contudo, é necessária também uma maior disciplina, bem como tempos de recuperação mais extensos.

Leave a Reply